google-site-verification: google3facb1b3eadfc201.html

Cidade de Gramado completa seus 65 anos buscando somar ao Turismo a Tecnologia

Município nasceu em 1954, mas sua história remonta tempos imemoriais. Durante todo o século XX, anos 1900, soube se reinventar economicamente, tornando-se um dos maiores ícones do Turismo mundial. E adentra o século XXI, anos 2000, buscando associar-se às novas tecnologias.

Cidade de Gramado: origem perde-se em tempos imemoriais

O Município de Gramado está completando 65 anos, pois sua emancipação política é de 15 de outubro de 1954. Mas sua história recente tem início antes, a partir dos programas de Governo voltados à atração dos imigrantes europeus para o Brasil, a partir de 1874.

Entretanto, desde tempos imemoriais até a chegada dos colonizadores brancos, toda a Serra Gaúcha, bela região de montanhas espalhando-se por extenso território a Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, era o lar de tribos formadas por nativos Caingangues.

Paulatinamente, foram expulsos, desaparecendo por completo. Começou com tropeiros descendentes de açorianos. Estabelecidos nas terras ao nível do mar ao longo do litoral Norte, cruzavam as montanhas em direção ao Sul, buscando gado nos Pampas gaúchos.

Fizeram isso durante todo o século XVIII, anos 1700, e até meados do XIX, anos 1800. Foram responsáveis pela denominação do local, por usar um campo sem árvores, solo coberto apenas por grama, como ponto de parada e descanso para os animais e homens.

Também revelaram ao mundo a vocação turística do local, recebendo e abrigando com segurança aqueles primeiros profissionais do Turismo de Negócios do nosso País. Um forte DNA, hoje compondo por volta de 80% da economia do Município de Gramado.

Tropeiros revelaram ao mundo a vocação turística do espaço onde hoje está a Cidade de Gramado. Usavam um campo sem árvores, solo coberto por grama, para se abrigar com segurança. E tornaram-se os primeiros profissionais do Turismo de Negócios do País

Cidade de Gramado: imigrantes iniciam povoamento em 1875

Em seguida, veio o povoamento propriamente dito, iniciado em 1875, com a chegada de colonizadores alemães e italianos. Posteriormente, nas proximidades da virada do século XIX para século XX, anos 1900, libaneses, portugueses e sírios, mas em menor número.

O ponto zero da Cidade de Gramado, onde estabeleceram-se os primeiros colonos, fica na Linha Nova. O termo “linha” identificava a distribuição das terras a imigrantes. Nas plantas, os lotes eram desenhados lado a lado, acompanhando faixas de retas paralelas.

Para facilitar a localização, cada uma das faixas recebia um número sequencial, dentro do projeto de colonização. Ao longo do tempo, e após a ocupação dos espaços entregues aos imigrantes, todas seriam transformadas nas vias de acesso às diversas propriedades.

No papel, eram retilíneas. No terreno, frente a córregos, paredões de rocha, riachos e outras irregularidades da topografia, tornaram-se sinuosas, apresentando-se assim nos dias de hoje. Muitas preservam a numeração; outras tiveram a denominação modificada.

Esse é o caso da Linha Nova. Num determinado ponto de seu percurso, foram instalados açougue e mercado. O movimento gerado pelo afluxo de pessoas ao local, em busca de carnes e outros produtos, impulsionou o crescimento do entorno, criando pequena vila.

Num ponto da da Linha Nova, foram instalados açougue e mercado. O movimento do fluxo de pessoas ao local, em busca de carnes e outros produtos, logo impulsionou o crescimento do entorno, criando pequena vila, o marco zero da Cidade de Gramado

Cidade de Gramado: estrada de ferro redireciona o crescimento

Tudo corria bem, com o progresso avançando de vento em popa, até à inauguração do ramal da ferrovia unindo a Cidade de Canela à Cidade de Porto Alegre. Isto aconteceu em 1924 e a estrada de ferro atendeu a região durante 37 anos, sendo desativa em 1963.

Uma estação, hoje transformada na Rodoviária da Cidade de Gramado, canalizou novos investimentos para lá. Assim, a Linha Nova teve freado o seu pujante desenvolvimento exibido nas duas primeiras décadas do século XX, ficando então estacionada no tempo.

Se isto foi prejudicial naquele momento, mostra-se agora bastante positivo, pois criou um atrativo turístico de grande valor. Sua exploração de modo sustentável é o ponto de partida para uma nova era de crescimento sem depredar a bela natureza vista ao redor.

Uma estação, hoje transformada na Rodoviária da Cidade de Gramado, canalizou novos investimentos para lá. Assim, a Linha Nova teve freado o seu pujante desenvolvimento exibido nas duas primeiras décadas do século XX, ficando então estacionada no tempo

Cidade de Gramado: turismo desde anos iniciais do século XX

Mesmo antes do advento do transporte ferroviário, a Serra Gaúcha já era destino para famílias passarem férias e recém-casados desfrutarem Lua de Mel. Despendiam um, dois, três dias em lombo de burros ou cavalos, ou a bordo de carroças, para chegar lá.

Com a chegada do trem a vapor, ficou mais fácil, além da viagem por si só já ser um grande atrativo. Impressionava a todos o resfolegar das máquinas sobre os trilhos, para sair do nível do mar e alcançar os quase mil metros de altitude da Estação de Gramado.

Os visitantes ficavam nas casas dos colonos, em hospedagens pensão completa — café-da-manhã, almoço, jantar e lanches. Degustavam alimentos preparados para as famílias dos lavradores, usando ingredientes produzidos por estes últimos, em suas propriedades.

Com a chegada do trem a vapor, ficou mais fácil, além da viagem por si só já ser um grande atrativo. Impressionava a todos o resfolegar das máquinas sobre os trilhos, para sair do nível do mar e alcançar os quase mil metros de altitude da Estação de Gramado

Cidade de Gramado: embrião da marca registrada do café colonial

Essa imersão na vida diária dos habitantes, notadamente em relação à alimentação, fez nascer uma das características mais marcantes do Turismo de hoje em dia na Cidade de Gramado. Trata-se do café colonial, atrativo buscado por todos os visitantes de agora.

Isso porque, aqueles turistas, ao retornar às suas residências, teciam maravilhas sobre o “café-da-manhã servido nas casas dos colonos”, nas quais haviam passado os dias. Era o menu servido aos lavradores, antes de todos partirem para as roças bem alimentados.

Uma sucessão infinita de delícias: café, chá, chimias (do alemão schmier), chocolate gelado, chocolate quente, conservas, cuca, mel, morcela (chouriço), nata, pães, queijos, queschmier (uma chimia tipo ricota), salames, torta de maçã (apfelstrudel), wafles etc.

Logo, pessoas subiam a serra para passear, descansar e, é claro!, experimentar as muitas delícias do cada vez mais popular “café colonial”, umas das mais autênticas tradições da cultura e cozinha alemãs, adaptadas pelos imigrantes às realidades das terras brasileiras.

A imersão dos visitantes na vida dos colonos, notadamente em relação à alimentação, fez nascer uma das características marcantes do Turismo de hoje em dia na Cidade de Gramado. É o café colonial, atrativo buscado por todos os visitantes de agora

Cidade de Gramado: expansão faz surgir primeiras avenidas e ruas

O crescimento da procura, ano a ano, levou à ampliação da oferta de hospedagem, com a construção de espaços especializados para a atividade: albergues, pensões, hospedarias e hotéis. Tudo muito simples, erguidos, em grande maioria, com estruturas de madeira.

Um bom exemplo para retratar essa época está preservado no Centro da vizinha Cidade de Canela. Tratam-se de partes das instalações originais do Grande Hotel Canela, com mais de um século de idade, integrantes do pequeno museu criado pelos proprietários.

Espalhando-se a partir da Estação de Gramado, foram surgindo as primeiras ruas. E, ao longo das vias, nasciam casas residenciais, edifícios públicos, prédios comerciais etc. Aos poucos, o embrião da atual Cidade de Gramado substituía as matas ali abundantes.

O crescimento da procura, ano a ano, levou à ampliação da oferta de hospedagem, com a construção de espaços especializados para a atividade: albergues, pensões, hospedarias e hotéis. Tudo muito simples, erguidos, em grande maioria, com estruturas de madeira

Cidade de Gramado: hospedagem torna-se excelente negócio

O avançar dos anos pelo início do século XX trouxe a popularização das construções em alvenaria. As novas edificações já nasciam assim e, pouco a pouco, antigas davam lugar a construções utilizando areia, brita, cal, cimento, concreto, pedras, vergalhões tijolos…

Outro bom exemplo para ilustrar esse período de transformação está na própria Cidade de Gramado. Trata-se do Hotel Ritta Höppner, empreendimento de enorme sucesso na atualidade, ao lado Parque Temática Mini-Mundo, erguido pelos mesmos proprietários.

Em 1934, Ritta Höppner e Otto Höppner chegaram onde hoje é a Cidade de Gramado, na época distrito do Município de Taquara. Enquanto ela dedicava-se às tarefas do lar, ele, excelente pedreiro, tornou-se mestre de obras em construções pelos arredores.

Ao lado da casa na qual moravam, funcionava a Pensão Postweiller. E a proprietária do empreendimento tornou-se amiga daquele par de pessoas trabalhadoras. Ela, querendo descansar, ofereceu o negócio aos dois. Não a venda, mas locação, com aluguel mensal.

Hospedagem era excelente negócio já naqueles tempos. A Serra Gaúcha virou local de veraneio desde o início do século XX, anos 1900. A quantidade de visitantes só crescia, principalmente após a inauguração da ferrovia, em 1924. Ritta e Otto aceitaram a oferta.

Era o primeiro passo da jornada levando à inauguração do Hotel Ritta Höppner, em 24 de setembro de 1958. E o marco zero do Parque Temático Mini-Mundo, em 1979, com vovô amoroso e papai orgulhoso realizando sonho simples de seus netinhos e filhinhos.

Cidade de Gramado, início da década de 1930, momento da chegada de Ritta Höppner e Otto Höppner, vindos da Alemanha. Ele, excelente pedreiro, tornou-se mestre de obras em construções de muitas das boas residências ainda hoje presentes por toda a região

Cidade de Gramado: pujança econômica leva à emancipação

Apesar de, a partir do início da década de 1920, o Turismo vir em crescimento contínuo dentro da economia do Município de Gramado, não tinha, ainda, a representatividade mostrada nos dias atuais, dividindo espaço com diversas outras atividades importantes.

Agricultura, comércio, produção de calçados, confecções — principalmente malharia, dos mais importantes dentro da matriz econômica —, extração de madeira e indústria de móveis eram os preponderantes na formação do Produto Interno Bruto — PIB local.

A pujança econômica levou à atração de novos imigrantes, das cidades vizinhas, de todo o Estado do Rio Grande do Sul e de outros pontos do Brasil. Crescimento populacional e consistente arrecadação de impostos criaram as condições para emancipação política.

Anexando terras e moradores da Linha Araripe, Linha Brasil e Linha Imperial, também visadas pelos interessados na criação do Município de Nova Petrópolis, o Município de Gramado assume a condução dos seus próprios destinos em 15 de dezembro de 1954.

Agricultura, comércio, calçados, confecções — principalmente malharia —, extração de madeira e indústria de móveis já tiveram preponderância superior ao Turismo na matriz econômica para formação do Produto Interno Bruto — PIB do Município de Gramado

Cidade de Gramado: denominação poderia ser diferente

Neto do imenso Município de Santo Antônio da Patrulha, filho do enorme Município de Taquara — era seu quinto distrito —, deixa de lado quatro topônimos sugeridos como denominação e mantém aquela com a qual passou a ser reverenciado em todo o mundo.

Distante cerca de 100 quilômetros da Cidade de Porto Alegre, capital do Estado do Rio Grande do Sul, faz parte das bacias do Rio Caí e do Rio dos Sinos. Mas sua área de 237 quilômetros quadrados é rica em cascatas, cânions, lagos, nascentes, riachos e vales.

O Município de Gramado nasceu cercado por outros cinco Municípios: Município de Caxias do Sul, ao Norte; Município de Três Coroas, ao Sul; Município de Canela, a Leste; e Município de Nova Petrópolis e Município de Santa Maria do Herval, a Oeste.

Com relevo bastante acidentado, a principal área urbana está a 830 metros acima do nível do mar. Isso proporciona temperaturas amenas no verão, em torno dos 25 graus Célsius, indo até abaixo de zero no inverno, com geadas e momentos queda de neve.

Com relevo acidentado, a principal área urbana da Cidade de Gramado está a 830 metros acima do nível do mar. Isso proporciona temperaturas amenas no verão, em torno dos 25 graus Célsius, indo até abaixo de zero no inverno, ocorrendo geadas e neve

Cidade de Gramado: Turismo toma preponderância sobre indústrias

Logo após sua emancipação, viveu o apogeu econômico da indústria de móveis durante toda a década de 1950, prolongando-se até final dos anos 1960. Isso devido a um estilo próprio de peças residenciais, a quais apresentavam bom gosto, charme e boa qualidade.

Isso muda por completo quando a competição com outros polos nacionais, e até mesmo internacionais, inviabiliza a continuidade das maiores empresas, gerando uma onda de perda de postos de trabalho, com a demissão de milhares de empregados especializados.

Diante da crise, Governo e população voltam-se para o Turismo, atividade econômica capaz de gerar empregos, criar renda e distribuir riqueza sem a necessidade de grandes investimentos. Administração pública e iniciativa privada unem-se em objetivo comum.

Nascem, assim, eventos com a capacidade de divulgar a Cidade de Gramado por todo o País e no exterior: primeiro, o Festival de Cinema; depois, o Festival de Publicidade; e, mais tarde, o Festival de Turismo. No início, nacionais; mais tarde, todos internacionais.

Foram criados eventos com a capacidade de divulgar a Cidade de Gramado por todo o País e no exterior: primeiro, o Festival de Cinema; depois, o Festival de Publicidade; e, mais tarde, o Festival de Turismo. No início, nacionais; mais tarde, todos internacionais

Cidade de Gramado: nasce o atrativo do chocolate artesanal

Surge também por essa época outro atrativo em Culinária com força semelhante àquela adquirida pelo café colonial: chocolate artesanal. A região na qual é impossível um pé de cacau sobreviver torna-se referência na produção do principal derivado de seu fruto.

Com o fluxo de turistas crescendo a olhos vistos, aos poucos, o Centro da Cidade de Gramado e sua periferia vão sendo ocupados por hotéis e pousadas, de categorias — em paralelo, dinamizam-se soluções mais em conta, como albergues, cama e café e hostels.

Cresce sem parar a oferta de opções de lazer para os visitantes, como a proliferação de passeios diversos, tanto pelas áreas urbanas quanto em meio à natureza e pelas áreas rurais, e estruturação de um sem número de museus especializados e parques temáticos.

Ao longo das belas avenidas e ruas, instalam-se bares, cafés, lanchonetes, pizzarias e restaurantes. Surgem as casas especializadas em outra marca registrada do Turismo da Cidade de Gramado: a fondue, oferecida em sequências de carnes, frutas, queijos…

A Cidade de Gramado tem outro atrativo em Culinária com força semelhante àquela adquirida pelo café colonial: chocolate artesanal. A região na qual é impossível um pé de cacau sobreviver torna-se referência na produção do principal derivado de seu fruto

Cidade de Gramado: eventos cobrem ano de janeiro a dezembro

De janeiro a dezembro, eventos e festas ocupam dias, semanas e até meses: Reveillon, Gramado Aleluia, Carnaval de Rua, Páscoa em Gramado, Festas Juninas, Gramado in Concert, Festa da Colônia, Gramado Fantasia, Festival de Cultura e muitos outros mais.

O maior de todos é o Natal Luz: começa no final de outubro, acaba no início de janeiro. Neste período, torna a Cidade de Gramado o lar do Papai Noel, com ruas iluminadas, casas devidamente decoradas, muitos shows em recinto fechado, desfiles a céu aberto…

Forte nas modalidades de Turismo associadas ao lazer — Aventura, Agro, Cultura, Ecológico, Gastronomia, História, Melhor Idade e outros mais —, investe buscando o Turismo de Eventos, atraindo congressos, feiras, encontros, seminários, workshops etc.

Para sediá-los, dispõe de dois grandes centros de eventos e feiras, a ExpoGramado e o Serra Park, além dos espaços para convenções em centenas de hotéis. E sua oferta de serviço especializado neste segmento de atividade é das mais completas do nosso País.

O maior de todos é o Natal Luz: começa no final de outubro, acaba no início de janeiro. Neste período, torna a Cidade de Gramado o lar do Papai Noel, com ruas iluminadas, casas devidamente decoradas, muitos shows em recinto fechado, desfiles a céu aberto…

Cidade de Gramado: Turismo é forte, mas indústria sobrevive

A Cidade de Gramado chega aos seus 65 anos de vida com um Turismo inigualável, invejado tanto dentro do Brasil quanto fora dele. Mas mostra também solidez em outros setores tradicionais em sua existência, desconhecidos até mesmo pela sua população.

São mais de 100 indústrias de médio porte no setor de móveis, em torno de 20 pequenas fábricas de chocolates, dezenas de malharias e outra centena de empresas na construção civil — este, um dos setores mais rentáveis do Município de Gramado na atualidade.

A agroindústria artesanal ou semiartesanal também se destaca na economia local. São cerca de 70 empresas, ocupando famílias inteiras de descendentes de imigrantes alemães e italianos, em maioria, produzindo itens como cuca, mel, geleia, pão, queijo, vinho…

O comércio também é muito dinâmico e diversificado, em virtude do fluxo constante de turistas. E oferecem de tudo um pouco: artesanato, bolsas, calçados, chocolates caseiros, flores, itens de vestuário em tecido ou malhas, objetos para decoração, peças em couro…

A Cidade de Gramado chega aos seus 65 anos de vida com um Turismo inigualável, invejado tanto dentro do Brasil quanto fora dele. Mas mostra também solidez em outros setores tradicionais em sua existência, desconhecidos até mesmo pela sua população

Cidade de Gramado: Rota Romântica e Região das Hortênsias

Ao longo dos seus 65 anos de existência, a Cidade de Gramado transformou-se numa grande indutora do Turismo para todas as outras cidades da Serra Gaúcha. Por isso, é a mais importante integrante da Rota Romântica, projeto reunindo outros 14 Municípios.

Idealizada para atrair namorados, noivos e, principalmente, casais em Lua-de-Mel, reúne várias estradas estaduais, num percurso em torno de 184 quilômetros de distância, estendendo-se desde a Cidade de São Leopoldo até a Cidade de São Francisco de Paula.

É considerada a “capital” da Região das Hortênsias — integrada pela Cidade de Canela, Cidade de Nova Petrópolis e Cidade de São Francisco de Paula —, um dos destinos de Turismo mais desejados por brasileiros e estrangeiros em períodos de férias e inverno.

Ao longo dos seus 65 anos de existência, a Cidade de Gramado transformou-se numa grande indutora do Turismo para todas as outras cidades da Serra Gaúcha. Por isso, é a mais importante integrante da Rota Romântica, projeto reunindo outros 14 Municípios

Cidade de Gramado: objetivo de ser a capital da Serra do Silício

Nascido no século XX, anos 1900, o Município de Gramado vê nos desafios impostos pelas mudanças aceleradas do século XXI, anos 2000, oportunidades. Sem abandonar suas características mais conhecidas e tradicionais, envereda pelo mundo da Tecnologia.

É sede da Gramado Summit, conferência de Tecnologia e feira de negócios voltada ao desenvolvimento e financiamento de startups — e cujo objetivo maior é transformar a Serra Gaúcha na “Serra do Silício”, polo de inovações centrado na Cidade de Gramado.

E, a partir de investimentos privados, abrigar complexo dedicado à educação, formação, incubação e aceleração de empresas do futuro. Nomeado Gramado 3.0, as obras devem ser iniciadas em 2020, pois todas as licenças ambientais necessárias foram conseguidas.

Tudo isso é decorrente da proposta de implantar na Cidade de Gramado os preceitos de Smart City — ou Cidade Inteligente —, transformações fundamentais por legislação em vigor desde 2018, garantindo um ambiente propício às iniciativas dos empreendedores.

Estes, em prazo relativamente curto, vão contribuir para facilitar e dinamizar processos da administração pública, melhorando serviços prestados à população, como assistência social, educação qualificada, mobilidade urbana, moradia, segurança, saúde e bem mais.

Está em andamento a implantação na Cidade de Gramado os preceitos de Smart City — ou Cidade Inteligente —, transformações fundamentais por legislação em vigor desde 2018, garantindo um ambiente propício às iniciativas dos empreendedores

Cidade de Gramado: uma semana de eventos pelos seus 65 anos

Em paralelo a este mundo de novidades, a Prefeitura divulgou programação para marcar os 65 anos de emancipação do Município de Gramado, com eventos distribuídos dia a dia, numa contagem regressiva de uma semana, até a data de 15 de dezembro de 2019.

Tudo começa no dia 9, segunda-feira, com abertura da exposição fotográfica “Retratos de Nossa Gente”, na Rua Coberta, homenageando 20 personalidades de idades, classes sociais, profissões e localidades variadas, todas importantes na história do Município.

Terça-feira, dia 10, comemoração do “Dia da Cultura Gramadense”, na Escola Senador Salgado Filho, com apresentação de bandas de música da cidade. Na quarta-feira, 11, no Centro de Tradições Gaúchas — CTC Manotaço, o “Jantar Gramado Tradicionalista”.

Quinta-feira, dia 12, na Sociedade Recreio Gramadense, entrega da “Comenda dos 65 Anos” a 65 cidadãos relacionados ao progresso do Município nas mais diversas áreas de atuação. Sexta, dia 13, na Praça das Etnias, “Encontro Gramado e seus Colonizadores”.

Sábado, 14, almoço “Onde Gramado Começou”: Esporte Clube Ipiranga, na Linha Nova. Finalmente, domingo, 15, culto ecumênico e apresentação da Orquestra Sinfônica de Gramado e encerramento das festividades com bolo e parabéns, em Várzea Grande.

O prefeito da Cidade de Gramado, João Alfredo de Castilhos Bertolucci, conhecido por Fedoca, divulgou programação para marcar os 65 anos de emancipação do Município de Gramado, com eventos distribuídos por uma semana, até o dia 15 de dezembro de 2019

Cidade de Gramado: transformações de um lugar apaixonante


O post “Cidade de Gramado completa seus 65 anos buscando somar ao Turismo a Tecnologia” foi produzido, por João Zuccaratto, jornalista especializado em Turismo baseado na Cidade de Vitória, a capital do Estado do Espírito Santo, com apoio do Zermatt Hotel.

Clique nos trechos em colorido ao longo do post “Cidade de Gramado completa seus 65 anos buscando somar ao Turismo a Tecnologia” para abrir novas guias, com informações complementares ao aqui sendo tratado. Eles guardam links levando a conteúdos do próprio Turismoria, verbetes da Wikipedia e sites de empresas, entidades, Governos estaduais, Prefeituras etc.

O post “Cidade de Gramado completa seus 65 anos buscando somar ao Turismo a Tecnologia” pode apresentar erros. Se forem apontados, reeditarei o material com as correções.

Todas as fotos e imagens presentes no post “Cidade de Gramado completa seus 65 anos buscando somar ao Turismo a Tecnologia” têm origem identificada. Se o autor de algumas delas discordar do seu uso, basta avisar para ser substituída.

No post “Cidade de Gramado completa seus 65 anos buscando somar ao Turismo a Tecnologia”, a repetição de algumas expressões, como “Abav Expo Internacional de Turismo 2019”, é intencional. Elas são as principais palavras-chave dos conteúdos. Colocá-las várias vezes na postagem faz parte das técnicas de Search Engine Optimization — SEO, ou otimização para ferramentas de busca. Ajuda a destacar o trabalho na lista apresentada quando se pesquisa com BingGoogle ou Yahoo!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

hasiltogel.xyz