Romeu Zema incentiva empreendedores a investir no turismo de Minas Gerais

Redução da carga tributária está dentre as propostas do candidato ao governo para potencializar o turismo no estado

O turismo é um segmento de extrema importância para o Estado, como grande gerador de empregos e estimulador da circulação de dinheiro nas cidades visitadas. Partindo desta premissa, conhecida por todos, o candidato do Novo, Romeu Zema aposta no fomento do turismo de negócios em Belo Horizonte e no estímulo aos empreendedores do setor no interior de Minas.

A explosão da construção de hotéis e o significativo aumento de equipamentos para atender os turistas, em 2014, ano de realização da Copa do Mundo no país, acabou trazendo um resultado amargo. Nos anos que se seguiram à competição, a hotelaria registrou uma grave crise. Somente nos primeiros seis meses do ano passado, nove hotéis foram fechados em Belo Horizonte e região metropolitana. Isso representou o fim de 1.500 vagas diretas, segundo dados do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares, engrossando a massa de desempregados.

Dentro do seu programa para recuperar a economia mineira, Romeu Zema aposta no incremento do turismo de negócios, na capital, como forma de aumentar a geração de empregos e de resgatar a taxa de ocupação dos hotéis, que ficou apenas por volta de 40% no ano passado. No interior, sua proposta é desburocratizar e desenvolver políticas públicas para estimular interessados em empreender no setor turístico.

“Muitas vezes, a pessoa tem interesse em trabalhar no setor, tanto na capital quanto em cidades do interior que têm atrativos turísticos, mas acaba desanimando. Quando simplificarmos e reduzirmos a carga tributária e equilibramos as contas, teremos estabilidade econômica e liberdade para investidores apostarem no potencial turístico de Minas”, avalia o candidato do Novo.

Nos últimos anos, Minas vem apresentando queda do volume na atividade, que, além disso, está concentrada nas mesmas cidades. É preciso estimular outros municípios, organizá-los para gerarem oportunidades de negócios e empregos. “A máquina pública atual, criada pela velha política, impõe custos elevados para os negócios. E com o turismo não é diferente”, afirma Zema, que completa: “O caminho para o desenvolvimento do turismo no estado não está em mais intervenção, mas sim em um ambiente de negócios mais simples, estável e que dê maior segurança aos empreendedores investirem no setor”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *